Terapia Ocupacional

Terapia Ocupacional

A Terapia Ocupacional (TO) é uma profissão da área da saúde que se utiliza da atividade em diferentes modalidades como recurso terapêutico em suas intervenções, visando prevenir, curar ou amenizar situações que possam desorganizar, temporariamente ou não, a vida de um sujeito. Atua com crianças e adolescentes abrangendo diversas alterações nos componentes motores, cognitivos, sensoriais e psicossociais, durante suas atividades de vida diária, escolares ou de lazer.

As intervenções terapêuticas no universo do desenvolvimento infantil estão intimamente ligadas aos processos de jogos, brincadeiras, descobrimentos e construções do sujeito em formação. Crianças com desenvolvimentos atípicos podem e devem ser acompanhadas por Terapeutas Ocupacionais especializados nesse público e conhecedores do universo infantil e todas as suas questões.

As atividades propostas são baseadas em uma avaliação inicial onde são analisadas dificuldades e potencialidades da criança, suas motivações e interesses, incluindo situações do contexto familiar e escolar a fim de desenvolver o máximo de autonomia na sua vida pessoal e social.

É através do brincar que a criança inicia o processo de auto-conhecimento, da sua relação com o outro e com o meio, criando assim relações necessárias para interagir com o mundo. O brinquedo torna-se um instrumento de exploração e desenvolvimento de suas capacidades. Para a criança essa é sua principal atividade.

Durante os atendimentos é utilizado Método Neuroevolutivo Bobath como base para o tratamento sendo o papel do terapeuta ocupacional facilitar o desempenho funcional minimizando dificuldades ocupacionais através de promoção do movimento mais próximo do normal, e quando necessário realizar adaptações. O foco principal é a funcionalidade de membros superiores com o auxílio do estímulo corporal global para potencializar o planejamento, a organização e a execução motora.

Importante também ressaltar a importância da orientação aos pais e/ou cuidadores quanto ao desenvolvimento e estimulação da independência motora e cognitiva, através de atividades funcionais e da adaptação de recursos de tecnologia assistiva (como cadeiras de rodas, órteses, computadores, softwares e muitos outros).

Como ferramenta avaliativa para os terapeutas e também para auxiliar na visualização dos ganhos e auxiliar pais e familiares no processo de reabilitação utilizamos o Inventário de Avaliação Pediátrica de Incapacidade (PEDI) além de outras avaliações padronizadas de acordo com o perfil de cada paciente.

 

Integração Sensorial


A Integração Sensorial(IS), desenvolvida pela T.O. Jean Ayres, na década de 70, mostra-se como um método eficaz – validado através de pesquisas cientifica - para a reabilitação de crianças com distúrbios sensoriais que afetam o desenvolvimento percepto-motor.

Sabe-se da importância do brincar, das brincadeiras e suas fantasias, dos jogos recreativos, das cantigas de rodas, das danças, das músicas e ruídos sonoros graduados, entre outros, como importantes mediadores para a promoção do desenvolvimento da plasticidade cerebral, em crianças com lesões neuromotoras. Estes aspectos falam puramente da importância que os componentes sensoriais exercem sobre as crianças tendo elas desenvolvimento típico ou atípico.

Dentro do ambiente terapêutico cabe ao terapeuta, utilizando recursos de integração sensorial, oferecer a criança com situações compatíveis com a avaliação. O profissional atua como parceiro da brincadeira ficando a certa distância controlada e propondo os “desafios” considerando-se os atrativos para a criança e suas dificuldades e carência de demandas sensoriais.

São utilizados materiais como rampas, trepa-trepas, balanços, redes, giradores,etc. sendo que as atividades motoras: rodar, balançar, correr, girar, pendurar-se e lançar-se são graduadas e levam em conta funcionamento do Sistema Nervoso Central.

Sabe-se hoje que alterações sensoriais estão intimamente ligadas a dificuldades de aprendizagem, o que interfere no desenvolvimento e realização de atividades em ambiente escolar e social.

 

Assessoria a Inclusão Escolar

Já não é mais novidade para a sociedade a importância e os bons resultados da Inclusão Escolar, além de ser um direito do deficiente, a comunidade escolar também se beneficia dado o relato de inúmeros espaços escolares já publicados na mídia em geral.

Entretanto essa situação requer mudanças no dia a dia de uma escola e nos paradigmas da educação. No CENEFFI, a Terapia Ocupacional assessora e presta consultoria às escolas, avaliando, orientando, adaptando meios físicos e auxiliando na adaptação curricular para o sucesso do processo de inclusão escolar. Esse trabalho é realizado em parceria da Clinica junto à equipe pedagógica do paciente.